Sábado, 21 de Julho de 2018

Buscar   OK
Brasil
Publicada em 23/06/18 às 00:02h - 63 visualizações
Júri dos acusados da morte do taxista de 92 anos será em julho, em Bom Sucesso
O taxista assassinado foi José Campidelli, pai do engenheiro florestal Salomão Campidelli, do Escritório Regional do IEF, em Lavras

Radio Sam Fm


 (Foto: Radio Sam Fm)
No dia 30 de outubro de 2014, a Polícia Civil de Santo Antônio do Amparo encontrou o corpo do taxista José Campidelli, de 92 anos, que estava desaparecido desde o dia 28 do mesmo mês, quando saiu para fazer uma corrida em seu veículo Chevrolet Corsa placas GVW-0059, Santo Antônio do Amparo.
Campidelli havia sido morto a pauladas, depois seu corpo foi jogado numa vala, o crime aconteceu na zona rural do município, cerca de 2 km de uma estrada vicinal próximo ao aeroporto daquela cidade. 
Seis dias depois o delegado Leandro de Prada Macedo apresentou três pessoas supostamente envolvidas no assassinato do taxista, o mandante, um viciado em drogas e um menor. O mandante e o viciado em drogas, que matou o taxista Campidelli, foram a júri popular, no fórum de Bom Sucesso, porém, logo que o tribunal se reuniu e o julgamento teve inicio, o advogado de defesa de um dos réus pediu o adiamento, alegando a ausência de uma testemunha e o pedido foi acatado pelo juiz, que marcou nova data: 13 de julho, às 9h.
Este crime teve grande repercussão também em Lavras, pois José Campidelli é pai do engenheiro florestal Salomão Campidelli, do escritório regional do Instituto Estadual de Floresta (IEF), em Lavras, e sogro da professora Maria Dalca.



Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

(35)99847-1197

Hora Certa
Publicidade Lateral
Estatísticas
Visitas: 244372 Usuários Online: 39


Fan Page

Parceiros
Relojoaria e Chaveiro Cardoso
Relojoaria e Chaveiro Cardoso
Mercado
Bazar

Copyright (c) 2018 - Radio Sam Fm - Todos os direitos reservados